Ecologia e Sustentabilidade

Introdução

O Brasil possui a maior floresta tropical e a maior biodiversidade do mundo. No entanto, toda essa riqueza está ameaçada pela destruição de florestas e de outros ecossistemas por grande projetos, pela expansão de monoculturas de soja e cana e pelo avanço da pecuária. 

Uma questão chave para o futuro da humanidade são os efeitos das mudanças climáticas. No contexto internacional, o Brasil é um ator de grande importância na construção de um novo acordo global para conter os efeitos desse fenômeno. Por outro lado, o país está no grupo dos maiores poluidores do mundo quando o que está em jogo são as emissões como resultado das queimadas e do desmatamento. Discutir e apoiar iniciativas que podem mudar esse quadro é uma das principais tarefas da hbs.

A questão da energia também está no centro do debate sobre desenvolvimento sustentável e mudanças climáticas. Energias renováveis, como eólica e solar, têm o potencial de substituir fontes tradicionais causadoras de grandes impactos ambientais (hidroelétricas) e enormes emissões de CO2 (carvão). Ao mesmo tempo e, apesar de cara e perigosa, a energia nuclear aparece como uma falsa solução.

Atualidades

Artigo

Dos oceanos à Rio+20: a hora é agora

Um grupo internacional de cientistas marinhos soltou um estudo com uma notícia-bomba: os oceanos correm alto risco de entrar em uma fase de extinção de espécies sem precedentes na história da humanidade. A velocidade e a taxa das perdas são muito mais rápidas do que qualquer previsão e muitos dos impactos negativos já identificados, maiores do que qualquer estimativa feita antes.  Por Daniela Chiaretti Mais»

Notícia

No Brasil, um futuro sem energia nuclear é possível

- April 30, 2011 -

“Não há nenhuma justificativa para a energia nuclear no Brasil”, afirmou a ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, durante o debate “De Chernobyl a Fukushima: A Energia Nuclear não tem Futuro”, promovido pela Fundação Heinrich Böll, em parceria com a Sociedade Angrense de Proteção Ecológica (Sapê) e a Rede Brasileira de Justiça Ambiental (RBJA), na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O evento aconteceu em 26 de abril, dia do 25º aniversário do desastre nuclear da usina de Chernobyl, na Ucrânia.

  Mais»

Notícia

População impede a entrada de lixo nuclear em Caetité (BA)

- May 16, 2011 -

Pelo menos duas mil pessoas se reuniram em vigília e bloquearam a rodovia que liga Caetité, cidade a 757 km de Salvador, ao distrito de Maniaçu (BA), onde funciona a única unidade de extração e beneficiamento de urânio em atividade no país. A manifestação aconteceu no domingo, dia 15 de maio

Por CPT Sul/Sudoeste Mais»

Na contramão da história?

- April 14, 2011 - O Brasil pode ser o primeiro país a possuir uma matriz energética inteiramente renovável. A afirmação foi feita pelo coordenador do Programa de Pós-graduação em Energia da Universidade de São Paulo (USP), Ildo Sauer, durante o debate “Brasil Nuclear: O País na Contramão da História?”, realizado pela Fundação Heinrich Böll, no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ), no dia 24 de março. Mais»

Dólares, esperanças e controvérsias – REDD na Amazônia

- December 3, 2010 - Se há até pouco tempo a sigla REDD (Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação) era familiar apenas aos entendidos nos assuntos das negociações sobre clima, hoje, numa velocidade estonteante, ela passou a fazer parte do vocabulário de ONGs, organizações indígenas e grupos de base na Amazônia. Mas em pouco tempo, REDD também se transformou em uma palavra controversa. Enquanto alguns consideram o mecanismo como a grande esperança na luta pela proteção florestal e climática, outros o veem como uma ameaça de mercantilização da natureza e dos habitats naturais. Um dos primeiros efeitos de REDD já é visível: ele divide (não só) movimentos sociais na América Latina. Por que REDD desperta esperanças tão divergentes entre si? Por Thomas Fatheuer Saiba aqui »

Clima: Uma questão de princípios

- December 1, 2010 - O esforço internacional sobre as questões climáticas negligenciam leis ambientais e princípios de direitos humanos. Esta é uma das conclusões do estudo “A matter of principle(s)” (“Uma questão de princípio(s)”), elaborado pela Fundação Heinrich Böll, e que contém propostas para que os mecanismos de financiamento das negociações sobre clima honrem seus compromissos com os direitos humanos e ambientais. O documento foi lançado ao mesmo tempo em que acontece a COP 16 (16a Conferência das Partes da Convenção do Clima), que acontece em Cancún (México), de 29 de novembro a 10 de dezembro. Mais»

Biodiversidade e Nanotecnologia

- January 8, 2010 - O Centro Ecológico Ipê, junto com organizações parceiras e com o apoio da Fundação Heinrich Böll, lançou duas revistas recentemente. Uma delas, o número 62 da Revista Biodiversidade - Sustento e Culturas, trata do tema das mudanças climáticas e aborda questões relacionadas como a crise dos alimentos, energia e gases do efeito estufa, além de alertar para a importância de se cuidar do solo.
A outra publicação é a Revista Nanotecnologia - A manipulação do invisível. Nela, entram em debate o que é e qual a real importância da nanotecnologia, quais os seus impactos, as aplicações dessa nova tecnologia na cadeia alimentar e nos produtos cosméticos, além da discutir sobre a convergência das novas tecnologias.

Copenhague e o clima

- December 7, 2009 - A Fundação Heinrich Böll e a organização alemã Germanwatch lançaram"um documento chamado "Substance or Greenwash Show? The Time for Half Measures is Over" ("Substancial ou Lavagem Verde? O tempo para meias medidas acabou"), que lista as medidas necessárias e que devem ser tomadas em Copenhague, durante a COP 15 (Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, que acontece entre os dias 7 e 12 de dezembro), para que possa ser alcançado um bom acordo final. O estudo alerta também para o perigo de que o documento acordado contenha apenas medidas de "fachada verde", sem apontar mudanças reais e necessárias.

O documento (em inglês) pode ser acessado aqui »

Mais»

Oficina de gênero, novas tecnologias e bioética

- No ano passado, a Fundação Heinrich Böll organizou mais uma oficina de biopolítica para discutir questões como bioética, novas tecnologias reprodutivas, eugenia, nanotecnologia, propriedade intelectual e regulação legislativa. Para saber mais sobre os debates que ocorreram durante o seminário, preparamos uma série de entrevistas com alguns dos seus participantes.
Mais »

Clima e Floresta em debate

- October 16, 2009 - A COP 15 (15a Conferência das Partes das Nações Unidas em Mudança Global do Clima) que acontecerá em dezembro, em Copenhague (Dinamarca), se aproxima e, entre outras definições, vai determinar o segundo período do Protocolo de Quioto (o primeiro ia do ano de 2008 até 2012), que estabeleceu compromissos de redução das emissões de gases que agravam o efeito estufa para todos os países com responsabilidades comuns, mas metas diferenciadas. Mais»

McPlanet 2009

- Nos últimos dias de abril, aconteceu na Alemanha mais uma edição do McPlanet, uma conferência anual que discute questões ligadas à globalização e ao meio ambiente, e que tem apoio Fundação Heinrich Böll junto com outras instituições. Mais»

Clima

Clima: Um passo adiante e dois para o lado

January 28, 2011 - 2010 foi um ano com resultados bastante controversos no que diz respeito às políticas relacionadas ao combate às mudanças climáticas, com muitos retrocessos e algumas pequenas vitórias. Após a realização da COP 16, em Cancún (México), a Fundação Heinrich Böll promoveu um esforço conjunto com dez de seus escritórios regionais em vários países (entre eles o Brasil) para fazer uma análise internacional sobre os resultados da conferência climática. Da iniciativa resultou o paper “One Step Forward and Two Sideward - Regional Analysis of Climate Policy in 2010 and the Cancun Climate Conference (COP 16) (Um Passo Adiante e Dois para o Lado – Análises Regionais sobre Políticas Climáticas em 2010 e a Conferência de Cancun) que traz, além de um balanço sobre as decisões tomadas na conferência, uma visão geral sobre algumas das políticas climáticas que estão sendo elaboradas e aplicadas domesticamente em países-chave, tanto do Norte quanto do Sul. O documento é concluído com uma perspectiva sobre os desafios que envolvem o processo acerca das tomadas de decisões internacionais no caminho para a COP 17, que acontecerá em Durban (África do Sul), em 2011, e sugere que o estado das negociações atuais seja seriamente repensado de forma a assegurar políticas climáticas mais ambiciosas para os próximos anos. Leia o paper (em inglês) na íntegra aqui

Road show do mercado brasileiro de carbono

- December 20, 2010 - Em Cancún (México), durante a realização da COP 16, não se aprovou nenhum acordo obrigatório para redução das emissões de carbono como forma de minimizar os efeitos do aquecimento global. Ainda assim, o Brasil foi um dos países que mais se destacaram durante a Conferência do Clima, não só por conta do anúncio de alguns resultados recentes (como a diminuição da taxa de desmatamento na Amazônia, por exemplo), mas também por demonstrar especial empenho na implementação da criação de um mercado nacional de carbono. A presença massiva de empresas e de representantes do governo pró-mercado de carbono impressionou, mas também recebeu críticas de ONGs e movimentos sociais. Por Dawid Bartelt, diretor do escritório da Fundação Heinrich Böll no Brasil Leia aqui o texto “Road show do mercado brasileiro de carbono” que fala sobre o assunto»

Cancun: Mais estagnação do que progressos

- December 20, 2010 - Os resultados da COP 16 (16a Conferência das Partes) da Convenção do Clima da ONU foram bastante modestos e praticamente todas as decisões importantes que deveriam ter sido tomadas acabaram adiadas para o ano que vem, em Durban (África do Sul), inclusive a definição sobre se haverá ou não um novo Protocolo de Kyoto. Por Sabrina Petry Mais»

10 anos da Fundação no Brasil

O que é política verde hoje?

A Fundação Heinrich Böll realizou em abril a conferência "O que é política verde hoje?". Foram três dias de reflexão, debates, e de comemoração, já que o evento celebrou os 10 anos da Fundação no Brasil. Uma palestra da senadora Marina Silva, na noite do dia 12 de abril, abriu a conferência. A seguir, houve o lançamento da publicação "Territórios do futuro - Educação, meio ambiente e ação coletiva", de Jean Pierre Leroy, um dos mais antigos defensores do direito ao meio ambiente no Brasil.
Nos dias 13 e 14, temas centrais e polêmicos, como a questão energética e o uso da terra sob a perspectiva da sustentabilidade, além de novas abordagens como bens comuns e bien vivir, estiveram na mesa de debate. E ainda houve espaço para a troca de experiências brasileiras e alemãs, inclusive as relacionadas aos Partidos Verdes dos dois países.
Além de Marina Silva, a conferência também recebeu a deputada federal do PV alemão, Bärbel Höhn, e Alfredo Sirkis, presidente do PV no Rio de Janeiro.
O folder com a programação completa pode ser acessado aqui, assim como o texto com a justificativa do evento. Os relatos sobre as mesas de debates encontram-se ao longo do nosso site.

» Clique aqui para mais informações

Diversidade Biológica

Biodiversidade e Nanotecnologia

January 8, 2010 - O Centro Ecológico Ipê, junto com organizações parceiras e com o apoio da Fundação Heinrich Böll, lançou duas revistas recentemente. Uma delas, o número 62 da Revista Biodiversidade - Sustento e Culturas, trata do tema das mudanças climáticas e aborda questões relacionadas como a crise dos alimentos, energia e gases do efeito estufa, além de alertar para a importância de se cuidar do solo.
A outra publicação é a Revista Nanotecnologia - A manipulação do invisível. Nela, entram em debate o que é e qual a real importância da nanotecnologia, quais os seus impactos, as aplicações dessa nova tecnologia na cadeia alimentar e nos produtos cosméticos, além da discutir sobre a convergência das novas tecnologias.

Seminário sobre proteção da agrobiodiversidade e direitos dos agricultores

- September 7, 2009 -
No final de agosto, representantes de movimentos sociais, ONGs, entidades de defesa dos direitos dos agricultores e dos consumidores e também da área da saúde se reuniram em Curitiba (Paraná) para debater mais uma vez a questão dos transgênicos no país. Impactos para o meio ambiente, para a saúde pública e as ameaças aos direitos do trabalhador foram os principais temas em pauta. O seminário, que teve apoio da Fundação Heinrich Böll, entrou ainda em questões que estão intimamente ligadas à produção dos OGMs no Brasil, como o uso de energia fóssil, o abuso da utilização de agrotóxicos e pesticidas, o modelo da agricultura industrial e a falta de transparência e o caráter anti-científico da CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança).
 
 
Leia aqui o documento final do seminário»

Convenção da Diversidade Biológica

- Após três semanas de intensas negociações, primeiro na MOP4 (4o Encontro das Partes do Protocolo de Cartagena) e depois na COP9 (Nono Encontro da Conferência das Partes da Convenção de Diversidade Biológica), em Bonn (Alemanha) em maio, chega a hora do balanço final. Para a sociedade civil, os avanços foram poucos. Mas também é preciso admitir que foram evitados alguns passos atrás relacionados a temas importantes. Mais»

Dossiê Energia Nuclear

Estratégias frente ao atual modelo energético e a questão da água no Nordeste

October 28, 2009 - Diante da crescente importância do tema da energia no Brasil e no mundo, a Fundação Heinrich Böll tem acompanhado de perto debates que tratam de questões como as grandes obras previstas no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) do governo Lula, entre elas projetos de geração de energia, como as grandes hidrelétricas, usinas nucleares e termoelétricas. O ponto é contribuir para uma discussão política da questão energética, tentando explicar tanto lógica da geração e da distribuição de energia, quanto questionando para quem esta energia está sendo gerada e a que custo.
Neste sentido, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) organizou um encontro em Fortaleza (CE)_ com apoio da Fundação_ que contou com representantes da sociedade civil e de movimentos sociais do Nordeste, para discutir grandes obras que estão em curso ou que deverão atingir a região em breve. Aqui você pode ver a programação do evento e ler um pequeno resumo sobre o encontro.
Além disso, o consultor da Fundação Heinrich Böll para a área de energia, Sergio Dialetachi, participou de um evento promovido pela Associação Brasileira de Desenvolvimento das Atividades Nucleares (ABDAN), que tinha como objetivo discutir o tema da energia nuclear no Nordeste. Leia aqui as impressões do consultor sobre o que foi exposto durante o seminário.

» Programação Seminário
» Usinas nucleares no Nordeste

Novas Energias

- July 28, 2009 - Grandes obras de infra-estrutura e falsas soluções para a crise energética (nuclear, carvão, agrocombustíveis em grande escala, etc) parecem sinalizar para uma época de difícil diálogo com o governo, mas é justamente o contrário. O momento atual abre espaço para propostas alternativas como a descentralização da produção de energia, o maior uso das fontes renováveis e o gerenciamento da demanda. Questões como essas vêm sendo abordadas no Boletim Energia Nova - Ação e política da sociedade civil no monitoramento das políticas energéticas do Brasil, produzido pelo Núcleo Amigos da Terra Brasil e apoiado pela Fundação Heinrich Böll.
Através dos links "Boletim Energia Nova" e "Boletim Energia Nova 2" é possível acessar os dois primeiros números já lançados. Os próximos podem ser encontrados no site do Nat-Brasil. E para quem quiser ter mais informações sobre um dos temas mais polêmicos dentro da questão energética, os agrocombustíveis, a Oxfam Brasil produziu um estudo sobre sua relação com o campo.

Energia nuclear em debate

- O tema da energia se faz presente no debate nacional e mundial todos os dias. Fala-se da demanda crescente e "indispensável" para o crescimento e desenvolvimento do país, da necessidade de se pensar em energias limpas para conter os efeitos do aquecimento global e das chamadas "falsas alternativas" a este perigo. Mais»

A volta da energia nuclear

- Como a energia nuclear ameaça voltar a ter uma dimensão preocupante na América do Sul, com governos de diferentes países da região estabelecendo iniciativas que vão, desde a expansão da mineração de urânio, até a instalação de unidades de enriquecimento, a implantação de novos reatores e a construção de submarinos, a Fundação Heinrich Böll, o Grupo Ambientalista da Bahia (Gambá) e o Núcleo Amigos da Terra/Brasil resolveram promover uma oficina sobre os problemas da indústria nuclear no continente.
Mais»