Os agrocombustíveis no Brasil - Quais perspectivas para o campo?

July 28, 2009
John Wilkinson e Selena Herrera

Download em português » 
Download em inglês »

Apresentação

Oxfam alerta que, diferentemente do que propagam os governantes dessas nações, tais políticas não são a “salvação” nem para a crise climática nem para a crise de petróleo. Muito pelo contrário, elas estão contribuindo
para uma terceira crise, a dos preços dos alimentos. Em países em desenvolvimento, os combustíveis provenientes da biomassa poderiam, em determinadas circunstâncias, apresentar alternativas para um desenvolvimento sustentável. Entretanto, os custos econômicos, sociais e ambientais podem ser severos e os tomadores de decisão devem proceder com muita cautela ao desenhar e implementar políticas nessa direção.

Tendo em vista que o Brasil constitui-se em ator de destaque no cenário internacional no que se refere aos agrocombustíveis, especialmente o etanol, entendeu-se que seria imprescindível conhecer melhor suas especificidades e levá-las em consideração quando da elaboração do estudo global acima mencionado. Assim, Oxfam Internacional no Brasil encomendou aos pesquisadores John Wilkinson e Selena Herrera, do CPDA da UFRRJ2 , uma pesquisa que oferecesse um panorama geral da situação tanto do etanol da cana-de-açúcar
quanto do biodiesel no Brasil. Além disso, sugeriu-se que fossem realizados estudos de caso referentes a experiências concretas impulsionadas a partir do apoio de políticas governamentais. E assim foi feito. Os pesquisadores visitaram e analisaram três iniciativas de produção de agrocombustíveis provenientes da agricultura familiar e que contam com o apoio do poder público, a saber: a produção de biodiesel a partir do dendê, no Norte (Pará), e da mamona no Nordeste (Ceará) e, uma experiência genuína de produção de etanol na região Sul do país (Rio Grande do Sul). Esta última iniciativa busca não somente integrar a produção de alimentos com a de energia como aproximar a produção de energia do seu consumo, de modo a assegurar às comunidades associadas ao projeto a conquista de sua autonomia em matérias energética e alimentar.

O estudo de John Wilkinson e Selena Herrera, pela riqueza de dados contidos bem como pela sua arguta análise, constituiu-se em importante subsídio para o documento global de Oxfam Internacional acima mencionado. Diante
disso, decidimos traduzir o texto - originalmente escrito em inglês - para o português e publicá-lo em ambos idiomas como forma de partilhar e de tornar público esse conjunto de informações. Deve-se destacar que o conteúdo do documento é de exclusiva responsabilidade dos pesquisadores e, portanto, não expressa necessariamente a posição de Oxfam Internacional, mas sim opiniões técnicas e pessoais resultantes de vasta experiência profissional dos autores. Esperamos que esta publicação contribua para a ampliação do debate referente à produção de agrocombustíveis no Brasil, fornecendo informações e análises que possam servir de referência para todos e todas que estejam interessados e interessadas por esse tema.

Boa leitura!

Oxfam Internacional no Brasil